terça-feira, 20 de novembro de 2012

Lavação da Igreja do Rosário - 2012


 Esse ano a Lavação das escadarias da Igreja do Rosário ocorreu no dia 18 de novembro, a partir das 9h da manhã, no Largo da Ordem em Curitiba. A lavagem aconteceu por volta das 10 horas, seguido do cortejo pela rua até a praça Tiradentes, onde houve um ritual, foi colocado uma faixa branca amarrada na gameleira, uma árvore sagrada, morada do orixá Iroco. 





Após, o cortejo seguiu até o pelourinho, que foi lavado e flores foram colocadas à sua volta. Houve apresentação de danças e também houve vários cantos. 


Mais fotos da lavação disponíveis em: https://plus.google.com/photos/108137978833660773113/albums/5812654676314546193?banner=pwa


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Congado: tradição que se renova em Lafaiete - MG

Texto copiado integralmente do site: <Jornal Correio da Cidade> 

 

33º Festival de Congado foi realizado em Lafaiete, no domingo, dia 15. Desfiles de bandas congas de Lafaiete e região fizeram suas apresentações, em frente à Prefeitura. No encerramento, foi realizada uma missa Conga. O evento contou com a presença dos reis e rainhas congas. Presidentes das guardas receberam troféus e medalhas de participação.

O festival conserva uma tradição de nossa região, mantida graças ao empenho de pessoas como Ganair Landislau dos Reis, 65 anos. Ele participa do Congado desde os 18 anos: “Vem dos meus avós, dos meus pais e tios. Sou capitão da banda Santa Efigênia, do bairro JK, e presidente da Irmandade de Congadeiros Nossa Senhora do Rosário. Atualmente, são 13 bandas na associação. A irmandade foi fundada em 1965, e busca resgatar a cultura”, relata. Outras apresentações estão programadas para 19 de agosto, na praça São Sebastião.
Mas não é só em Lafaiete que as bandas locais se apresentam. Anualmente, grupos lafaietenses levam sua arte a Aparecida do Norte, entre outras cidades: “O Congado significa muita coisa; a Nossa Senhora do Rosário foi encontrada no fundo do mar, e foi o Congado quem resgatou ela. A gente canta e dança a nossa fé”, destaca. A irmandade reúne-se todo primeiro sábado do mês, das 16 às 18h, em frente ao Hospital São Vicente.
Representando a “nova geração”, Carlos Eduardo de Souza Pereira, 22 anos, participa desde os 9 anos e é capitão de banda: “Entre no Congado porque vi uma apresentação e gostei. Entrei como dançante, depois fui tocar no centro e surgiu uma vaga de capitão. Participo da Banda de Congado Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, daqui de Lafaiete. O Congado significa muita coisa; ajuda a tirar muita gente do caminho ruim”, lembra.
Vicente Gama da Silva, 59 anos, também faz parte da Congada desde criança: “Eu já nasci na Congada; meu pai foi fundador. Sou da Banda Nossa Senhora do Rosário, de Carandaí. São 37 integrantes. O Congado para mim é como uma religião. A fé em Nossa Senhora do Rosário. Já tenho netos no Congado e espero que, quando eu morrer, meus filhos sigam com a tradição”, declara.
Entre as mulheres, Elizabete Oliveira Silva Gama, 26 anos, mostra que o Congado não faz distinções: “Tem 26 anos que estou no Congado; sou filha do Vicente Capitão. É uma cultura que não deveria acabar; é muito bom para a gente. Tenho dois filhos que já fazem parte; o Pedro Lucas, de 3 anos, e a Maria Júlia, de apenas 8 meses de vida. Se depender de mim, eles vão continuar com a tradição da família”, frisa.

Tradição secular

A Congada é um evento que faz parte do folclore brasileiro. Trata-se de um desfile ou procissão que reúne elementos das tradições tribais de Angola e do Congo, com influências ibéricas, no que se refere à religiosidade. Esse fenômeno cultural é conhecido como sincretismo religioso: entidades dos cultos africanos eram identificados aos santos do catolicismo. Assim, a Igreja, as autoridades e os senhores de engenho, de um modo geral, aceitavam ou prestigiavam a solenidade.
Animada por danças, cantos e música, a procissão acabava numa igreja (em geral, as de irmandades de negros, como Nossa Senhora do Rosário) onde, com a presença de uma corte e seus vassalos, acontecia a cerimônia de coroação do Rei Congo e da Rainha Ginga de Angola – uma personagem da história africana, a Rainha Njinga Nbandi, do século 17. Esses autos, contudo, não existiram no território africano.
As congadas atuais são originárias dessas coroações e ainda estão presentes em diversos estados de todo o Brasil, como Minas Gerais. Realizadas de maneiras diversas e mescladas a outras festas, elas basicamente são compostas de desfiles teatrais, ao som de vários ritmos: embaixadas, desafios, repentes e maracatús. Têm, como padroeiras, Nossa Senhora do Rosário, São Benedito e Santa Efigênia. Por isso, geralmente se apresentam nas festas desses santos ou ainda no mês de maio.
Em Minas, as festas acontecem no mês de outubro, em homenagem a Nossa Senhora do Rosário. Seus participantes vestem-se de branco, com um saiote de fitas coloridas e o rosário de lágrimas a tiracolo, e dançam ao ritmo das caixas e dos chocalhos. Tanto em Minas como no Rio Grande do Sul, a Rainha Ginga desfila em procissão.

O Congado em Lafaiete

Localizada em uma rica e importante região histórica, Lafaiete foi passagem de ouro e recebeu expressivas influências religiosas. Ao mesmo tempo, tornou-se local de concentração de camadas populares pobres, nascidas na localidade ou vindas de cidades vizinhas menores.
Neste contexto, as bandas de Congado, que jamais desapareceram da região, começaram a se articular na periferia da cidade, existindo até hoje, apesar de todos os prejuízos socioculturais e sua degeneração folclórica. A força para a continuidade vem da participação efetiva de jovens e crianças, que recebem dos pais os ensinamentos necessários para a preservação da manifestação religiosa e cultural.
Um exemplo da resistência é a realização do Festival de Congado de Lafaiete. Desde 1979, na gestão do então prefeito Pedro Silva, o evento vem reunindo congadeiros de todo o estado, com uma programação variada.
São 11 grupos de Congado, atuando em Lafaiete, que, na tentativa de uma maior integração e difusão das tradições, criaram recentemente a "Irmandade de Congadeiros Nossa Senhora do Rosário".
De acordo com a tradição, o Congado sempre foi manifestação religiosa e cultural apresentada por uma variedade de cores, sons e movimentos. As músicas são simples, mas com um significado forte, sempre cantadas em louvor ao santo ou santa de devoção. Por isso a manifestação religiosa do Congado é chamada de a "Fé que canta e dança".

Texto copiado integralmente do site: <Jornal Correio da Cidade>

sábado, 21 de janeiro de 2012

Dia Nacional do Combate à Intolerância Religiosa







O Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa, celebrado em 21 de janeiro, foi oficializado pela Lei nº 11.635, em 2007. A data homenageia a sacerdodisa Gildásia dos Santos, a Mãe Gilda. Ialorixá do terreiro Axé Abassá de Ogum, em Salvador, Mãe Gilda morreu de infarto em 21 de janeiro de 2000. Sua foto foi publicada no jornal de uma igreja evangélica, acompanhada de texto depreciativo. Semanas antes, o terreiro de Mãe Gilda fora invadido por evangélicos. “Minha mãe tinha a saúde fragilizada e piorou depois do choque de ver sua foto na reportagem”, conta a ialorixá Jaciara Santos, filha biológica e sucessora de mãe Gilda no comando do terreiro.


Logo após a morte da mãe, Jaciara Ribeiro dos Santos, moveu uma ação contra a  Igreja Universal do Reino de Deus, por danos morais e uso indevido da imagem de Mãe Gilda. 


No mês de janeiro de 2004, em primeira instância a IURD foi condenada e a sentença publicada no Diário Oficial do Poder Judiciário do Estado da Bahia (caderno 2/ página 29 em 14 de janeiro de 2004).

Ialorixá Jacira de Oxum, herdeira de Mãe Gilda

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Logo dos Amigos da lavação!

Lançamento da logo dos Amigos da Lavação! O Amigos da Lavação é um símbolo que pretende unir pessoas interessadas na Lavação das Escadarias e na cultura negra em Curitiba em um grupo sólido. Também será utilizado aqui no blog como representação, pois ele é escrito por pessoas Amigas da Lavação!!!!



Em breve teremos mais novidades em relação ao grupo Amigos da Lavação! Aguardem!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Lavação da Igreja Nossa Senhora do Rosário 2011 - Fotos



O cortejo descendo a ladeira do Rosário chega à praça Tiradentes para saudar as cinco Gameleiras Brancas (Iroco/Kitembo)!

Algumas fotos da Lavação das Escadarias da Igreja do Rosário 2011 já estão disponíveis através do link: Lavação das Escadarias do Rosário - Curitiba 2011.